E a vida segue em Paris….

A sensação de estar em uma cidade que acabou de sofrer um atentado terrorista é, no mínimo, de preocupação. Não tem como não sair nas ruas sem observar as pessoas, perceber a polícia e ser notado pelos seguranças armados nos estabelecimentos. Eles estão de olho em tudo e em todos. Eu mesma fui revistada dos pés a cabeça ao entrar na loja da Disney na Avenida Champs Elysée. Mas tudo bem. Melhor assim.

O que aconteceu no dia 13 de novembro deixou todos em alerta. Mas aos poucos, Paris está voltando “ao normal”. O clima é de tranquilidade, apesar de tudo.

Claro que essa “tranquilidade” se deve ao fato do movimento nas ruas ter diminuído no fim de semana. Poucas pessoas saíram de casa. Mas apesar da calmaria, o comercio já voltou a atender normalmente, bem como os cafés e restaurantes. E a cidade vai voltando aos poucos a sua rotina.

Paris sob os holofotes

O mais impressionante disso tudo, é que o que se viu nos últimos dias foi uma onda de comoção e solidariedade vinda do mundo todo. É em momentos como esses que percebemos o quanto o amor pode mostrar sua força.

Eu nunca pensei estar tão próxima de algo assim. Na noite da última sexta-feira, eu estava com a minha família no Hotel Vivaldi, na região de La Défense, em Paris. O local fica mais ou menos a 10 km de onde aconteceram os atentados. E eu só fiquei sabendo do ocorrido no dia seguinte, quando vi dezenas de mensagens no meu celular de amigos e familiares perguntando como estávamos. Logo fui verificar o noticiário e minha primeira reação ao ver o que tinha se passado foi agradecer a Deus por eu e minha família estarmos vivos! Um misto de alívio e choque pela atrocidade que aconteceu a poucos quilômetros de onde eu, meu marido e minha filha estávamos.

Chorei. Rezei e pensei em todas as pessoas que amo. Pensei também nas pessoas inocentes que morreram e se feriram neste triste episódio.

O mundo inteiro se comoveu e se solidarizou com a França. E não se trata apenas de simpatia por uma nação em luto, mas sim de desafiar essa lógica assassina por trás dos ataques. Trata-se de mostrar que mesmo agora, em um momento tão dolorido, nossa esperança pelo mundo irá sobrepor o medo, a tristeza e a dor. A vida segue, mas segue com mais força, mais esperança, e com mais vontade ainda de que o amor se sobreponha ao ódio.

 

Uma cidade comovida e poética

Logo que eu soube dos atentados terroristas pensei em voltar imediatamente para o Brasil, mas ao mesmo tempo, algo me dizia para ficar. E foi uma decisão acertada.O bairro onde estamos hospedados é fora dos roteiros turísticos, e isso nos deixou mais confiantes da nossa decisão em permanecer aqui.

Aos poucos a cidade foi se normalizando e nos sentimos seguros em passear por alguns pontos turísticos abertos de Paris.

Apesar de comovida, a capital francesa é pura poesia. Seus parques, seus monumentos, sua história, sua cultura, sua riqueza em todos os detalhes encanta aos olhos, mesmo que tristes por tudo o que aconteceu.

 

Segue alguns cliques do fim de semana em Paris.

Torre Eiffel - Paris - Denize Savi

Torre Eiffel - Paris - Denize Savi

 

Torre Eiffel - Paris - Denize SaviArco do Triunfo - Paris - Denize Savi

Arco do Triunfo - Paris - Denize Savi

Obrigada por todas as mensagens de carinho e solidariedade que recebi de vocês.

Beijos, Dê.